Home A Top A CYPE Produtos Serviços Ensino Superior Contactos
PRODUTOS
Software Cype
Pacotes promocionais
Publicações Cype
Requisitos mínimos de hardware e software
Preços de Atualizações
Novidades

CYPE 3D (Sucessor do Novo Metal 3D)

O CYPE 3D foi concebido para realizar o cálculo de estruturas, em 3D ou 2D, de aço, de betão, misto betão e aço, de madeira, de alumínio ou de qualquer outro material. Se a estrutura for de aço, betão, madeira ou alumínio, obtém-se o seu dimensionamento e otimização.

A introdução de dados é simples, após a preparação, passa-se à sua introdução que consiste na definição de barras, placas e cotas, como se de um esquisso se tratasse. O utilizador pode modificar qualquer tipo de dados sempre que o deseje.

Quando se utiliza o módulo do Gerador de Pórticos, este funciona como um assistente, para estruturas metálicas, gerando asnas e pórticos rígidos tipificados de uma forma muito automatizada.

Terminada a introdução de dados é efetuado o cálculo.

Os módulos de Ligações metálicas permitem efetuar o cálculo e dimensionamento de ligações soldadas e aparafusadas.

O software efetua o dimensionamento das placas de amarração dos perfis às fundações.

O processo de análise de resultados no CYPE 3D é facilitado pelas ferramentas do programa que permitem otimizar o controlo de resultados para que nenhum dos elementos estruturais fique por analisar. As barras apresentam-se a vermelho se não verificarem os requisitos regulamentares, o programa indica porque não verificam e sugere novas secções, o utilizador pode de imediato testar novas secções. São apresentados resultados numéricos e gráficos (diagramas) de todos os elementos estruturais, proporcionando a realização de uma análise adequada dos resultados.

Após o cálculo e dimensionamento o programa gera as peças escritas com maior ou menor quantidade de informação. De acordo com a seleção efetuada, gera do mesmo modo as peças desenhadas. A impressão pode ser direta ou para ficheiros que poderão ser editados posteriormente e trabalhados por cada engenheiro.


CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS

CYPE 3D
Importa ficheiros DWG e DXF, em 2D ou 3D, para geração automática da estrutura ou desenho a partir destes
Importa ficheiros de texto, para geração automática da estrutura
Importa modelos de análise estrutural de ficheiros IFC
Importa estruturas tipificadas do programa Gerador de Pórticos
Importa também as cargas geradas no Gerador de Pórticos
Geração automática do peso próprio
Introdução de qualquer tipo de carga e momento
Variação da temperatura
Base de dados de combinações
Análise dinâmica aos sismos
Perfis de aço laminado, composto ou enformado
Os perfis encontram-se em bibliotecas de fabricantes e prontuários
As bibliotecas podem ser ampliadas
Colocação de quadros de reforço
Perfis de altura variável
Cálculo automático e aproximado dos coeficientes de encurvadura
Tipologia de nós: articulados, encastrados, semiencastrados, apoios elásticos, deslocamentos impostos, restrições nas ligações
Imposição de flechas limite para dimensionamento
Introdução e cálculo de elementos tipo Placa
Resultados numéricos e gráficos (diagramas)
Resultados de deslocamentos, deformadas e esforços por ação, combinação e envolventes
Resultados do dimensionamento efetuado
Cálculo e dimensionamento de tirantes
Cálculo e dimensionamento das placas de amarração
Cálculo e dimensionamento das fundações (sapatas, maciços de encabeçamento de estacas, vigas de equilíbrio e lintéis)

Inclui:

Gerador de pórticos
Gera pórticos rígidos e asnas (treliças)
Gera o peso próprio, sobrecarga, vento e neve
Dimensiona as madres da cobertura e laterais
Exporta para o CYPE 3D

Sapatas
Betão armado ou betão simples
Isoladas ou combinadas (dois ou mais pilares)
Centradas ou excêntricas (numa ou nas duas direções)
Flexíveis ou rígidas
Retangulares ou piramidais
As vigas equilibram fundações excêntricas
Equilíbrio relativo a um dos extremos ou aos dois
Os lintéis travam as sapatas

Pilares de betão
Secção retangular ou circular
Para Portugal, dimensionamento segundo o Eurocódigo 2 NP EN 1992-1-1: 2010/NA
Edição de armaduras
Listagens justificativas do cálculo e dimensionamento
Desenhos dos respetivos elementos estruturais

Vigas de betão
Secções retangulares, embebidas, em T ou L
Para Portugal, dimensionamento segundo o Eurocódigo 2 NP EN 1992-1-1: 2010/NA
Edição de armaduras
Listagens justificativas do cálculo e dimensionamento
Desenhos dos respetivos elementos estruturais

Pilares mistos de betão e aço
Secção retangular ou circular de betão e perfil embebido
Secção revestida de chapa de aço laminado cheio de betão, com ou sem armadura e perfil embebido
Tubo retangular, quadrangular ou circular de aço enformado cheio de betão, com ou sem armadura e perfil embebido
Dimensionamento segundo o Eurocódigo 4 NP EN 1994-1-1: 2011
Dimensionamento segundo a norma ANSI/AISC 360-10
Edição de armaduras
Listagens justificativas do cálculo e dimensionamento
Desenhos dos respetivos elementos estruturais

Perfis de madeira
Cálculo e dimensionamento segundo o Eurocódigo 5 EN 1995-1-1: 2004
Biblioteca de secções ampliável pelo utilizador
Vigas e perfis de altura variável
Listagens justificativas do cálculo e dimensionamento
Para verificação da resistência ao fogo é necessário o módulo Resistência ao fogo

Perfis de alumínio
Cálculo e dimensionamento segundo o Eurocódigo 9 EN 1999-1-1: 2007
Perfis duplo T, C simples, cantoneira, chapa, T simples, tubo circular e retangular, varão maciço e vergalhão maciço
Perfis com secções específicas
Biblioteca de secções ampliável pelo utilizador
Listagens justificativas do cálculo e dimensionamento

Ligações I - Soldadas para naves
Cálculo e dimensionamento automático
Naves com perfis laminados e compostos em Duplo T
Ligações soldadas de perfis “duplo T” segundo Parte 1-8 do Eurocódigo 3
Ligação Pilar-Viga encastrada ao banzo
Ligação Pilar-Viga articulada
Ligação Pilar-Viga contínua
Ligação intermédia Pilar-Viga encastrada ao banzo
Ligação intermédia Pilar-Viga articulada
Apoio intermédio de viga em nó articulado
Apoio na cumeeira
Ligação em cumeeira
Ligação de peças de igual perfil em prolongamento reto
Listagens com cálculo justificativo e medições
Desenhos pormenorizados
Utilização do CYPE-Connect, ferramenta de edição, verificação e dimensionamento

Ligações II – Aparafusadas para naves
Cálculo e dimensionamento automático
Naves com perfis laminados e compostos em Duplo T
Ligações aparafusadas de perfis “duplo T” segundo Parte 1-8 do Eurocódigo 3
Ligação Pilar-Viga encastrada ao banzo
Ligação Pilar-Viga articulada
Ligação Pilar-Viga contínua
Ligação intermédia Pilar-Viga encastrada ao banzo
Ligação intermédia Pilar-Viga articulada
Apoio intermédio de viga em nó articulado
Apoio na cumeeira
Ligação em cumeeira
Ligação de peças de igual perfil em prolongamento reto
Empalmes de duas peças mediante cobrejuntas aparafusadas
Listagens com cálculo justificativo e medições
Desenhos pormenorizados
Utilização do CYPE-Connect, ferramenta de edição, verificação e dimensionamento

Ligações III - Soldadas para edificação
Cálculo e dimensionamento automático
Edifícios com perfis laminados e compostos em Duplo T
Ligações soldadas de perfis “duplo T” segundo Parte 1-8 do Eurocódigo 3
Ligação Pilar-Viga encastrada ao banzo ou alma
Ligação Pilar-Viga articulada
Ligação Pilar-Viga contínua
Ligação intermédia Pilar-Viga encastrada ao banzo ou alma
Ligação intermédia Pilar-Viga articulada
Ligação Pilar interrompido-Viga contínua
Apoio intermédio de viga em nó articulado
Apoio na cumeeira
Ligação em cumeeira
Ligação de peças de igual perfil em prolongamento reto
Listagens com cálculo justificativo e medições
Desenhos pormenorizados
Utilização do CYPE-Connect, ferramenta de edição, verificação e dimensionamento

Ligações IV - Aparafusadas para edificação
Cálculo e dimensionamento automático
Edifícios com perfis laminados e compostos em Duplo T
Ligações aparafusadas de perfis “duplo T” segundo Parte 1-8 do Eurocódigo 3
Ligação Pilar-Viga encastrada ao banzo ou alma
Ligação Pilar-Viga articulada
Ligação Pilar-Viga contínua
Ligação intermédia Pilar-Viga encastrada ao banzo ou alma
Ligação intermédia Pilar-Viga articulada
Ligação Pilar interrompido-Viga contínua
Apoio intermédio de viga em nó articulado
Apoio na cumeeira
Ligação em cumeeira
Ligação de peças de igual perfil em prolongamento reto
Empalmes de duas peças mediante cobrejuntas aparafusadas
Listagens com cálculo justificativo e medições
Desenhos pormenorizados
Utilização do CYPE-Connect, ferramenta de edição, verificação e dimensionamento

Ligações V - Treliças planas com perfis tubulares
Cálculo e dimensionamento automático
Ligações entre perfis tubulares e formados por duplo canal laminado em caixão soldado
Segundo Parte 1-8 do Eurocódigo 3
Junta em T, Y, X e L
Junta dupla Y
Junta K, N, KT, dupla K com afastamento e com sobreposição
Cotovelo com e sem diagonal
Empalme aparafusado flangeado de duas peças CHS ou RHS
Listagens com cálculo justificativo e medições
Desenhos pormenorizados
Utilização do CYPE-Connect, ferramenta de edição, verificação e dimensionamento

Exportação para TEKLA®
Exportação da estrutura calculada e dimensionada para o TEKLA Structures (v12.1, 13.1, 14.0, 14.1, 15.0 SR1, 16.0, 17.0, 18.0, 19.0 e 21.1)

Exportação para TecnoMETAL®
Exportação da estrutura calculada e dimensionada para o TecnoMETAL 4D

Exportação para CIS/2
Exportação para CIS/2 para importação no Advance Steel® de Graitec
Modelo 3D com perfis laminados, compostos e enformados simples de secção constante
Referências de perfis devem coincidir com as bibliotecas de Advance Steel®
Pormenores das ligações soldadas e aparafusadas

Placas de amarração
Considera a hipótese de Bernouilli
Verifica as tensões no betão, pernos e placa com ou sem rigidificadores
Admite qualquer posição do pilar na placa

Maciços de estacas
Admitem vários pilares
Lineares, retangulares, triangulares, pentagonais, etc.
A posição dos pilares e paredes é livre
Podem estar ligados a vigas de equilíbrio ou lintéis

Resistência ao fogo
Verifica a resistência ao fogo segundo os Eurocódigos (EN 1992-1-2:2004, EN 1993-1-2:2005 e EN 1995-1-2:2004)

Cálculo avançado de fundações superficiaisRecortes na geometria das sapatas

Cálculo paralelo 2 processadores
Tira partido dos dois processadores em paralelo (Dual core)
Diminuição substancial do tempo de cálculo

Cálculo paralelo mais de 2 processadores
Tira partido até oito processadores em paralelo (8-core)
Diminuição substancial do tempo de cálculo

Normas internacionais
Normas internacionais para programas de estruturas
Cálculo e dimensionamento da estrutura segundo a norma internacional selecionada

Limitações
Consulte aqui.

Curso de iniciação ao CYPE 3D


       

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais  OK